O MERCADO

Governo está comprometido com logística e infraestrutura, diz ministro

O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, criticou a estratégia adotada pelo governo da presidente Dilma Roussef em relação às concessões de projetos de infraestrutura, afirmando que, no passado, se trocou a “aritmética pela ideologia” nessa área.

“Tivemos que rever o modelo para que as concessões tomassem outro rumo”, disse Quintella, durante cerimônia de abertura da Intermodal, em São Paulo, ressaltando ainda que, atualmente, se prioriza a viabilidade econômica e a segurança jurídica dos contratos. “Estamos atraindo investidores privados e retomando a credibilidade de quem quer fazer negócios.”

Falando para uma plateia composta, em sua maioria, por investidores tanto brasileiros quanto estrangeiros, o ministro afirmou que o governo federal está amplamente comprometido com o setor de logística e com os investimentos em infraestrutura, estando aberto às parcerias com o setor privado.

“O governo está ciente da importância do papel de prover infraestrutura para que o setor privado possa desenvolver suas atividades de forma criativa”, avaliou. “Estamos cientes que as parcerias são essenciais para a economia e imprescindíveis para o Brasil”.

Quanto aos investimentos em infraestrutura, Quintella ressaltou que o governo tem procurado realizar aportes em todos os modais, mas priorizando a conclusão de obras inacabadas ou com alto grau de execução, mas que estavam paralisadas.

“O investimento em infraestrutura e a intermodalidade são fundamentais e, para isso, a participação do privado é imprescindível”, concluiu.

 

Leilões de ferrovias

Quintella afirmou que, no setor ferroviário, o governo tem como meta leiloar até o fim do ano a Ferrogrão, a ferrovia Norte-Sul e a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol).

“Também foi priorizada a renovação antecipada de cinco concessões ferroviárias”, disse Quintella, referindo-se aos projetos da MRS Logística, Estrada de Ferro Carajás, ferrovia Vitória-Minas, FCA e Rumo (Malha Paulista). Segundo o ministro, tais renovações poderão destravar investimentos de até R$ 25 bilhões na malha ferroviária do País.

“O Brasil é um destino certo para investidores nacionais e internacionais”, disse o ministro. “O País nunca precisou tanto de parcerias quanto agora”.

Quanto aos leilões dos aeroportos de Salvador, Fortaleza, Porto Alegre e Florianópolis e dos terminais portuários STM 04 e 05, em Santarém (PA), Quintella voltou a afirmar que as disputas foram bem sucedidas, destacando os investimentos que serão realizados nesses ativos.

“Tivemos competitividade e uma disputa extremamente acirrada, ficamos muito felizes”, avaliou, referindo-se aos aeroportos. “Temos certeza que, com essas operadoras, teremos o melhor serviço oferecido à população”.

Em relação ao setor portuário, Quintella lembrou que, além do leilão dos terminais no Pará, o governo também renovou a concessão de dois terminais, em Salvador e Paranaguá, e trabalha para a finalização do novo decreto do setor portuário. “Queremos dar uma nova dinâmica ao setor e atrair mais investimentos.”

 

FONTE: Estadão Conteúdo

ubm white

   Conectando pessoas e o mercado global

 

UBM é a maior empresa organizadora de eventos B2B no mundo. Nosso profundo conhecimento e paixão pelos setores da indústria que servimos nos permitem criar experiências valiosas onde as pessoas atingem seu sucesso. Em nossos eventos, as pessoas criam relacionamentos, fecham acordos e crescem seus negócios.

Nossos mais de 3.750 funcionários, com sede em mais de 20 países, atendem mais de 50 diferentes setores da indústria. No Brasil atuamos nos setores da saúde, logística, ingredientes alimentícios, construção civil, construção naval e metroferroviária. Essa rede de relacionamento global com pessoas apaixonadas e líderes de eventos oferece oportunidades únicas para que os empresários alcancem suas ambições. .

 

Filiada à     

 ubrafe branco

Newsletter

entrada invalida
entrada invalida
entrada invalida
e-mail invalido